• a-fazenda 10-Anos-mais-jovem A-Grande-Família Altas-horas A-Praça-é-nossa A-Turma-do-Didi Bela,-a-feia Big-Brother-Brasil Caldeirão-do-Huck Caminho-das-indias Casos-de-Família Casseta-e-Planeta Chamas-da-Vida Domingo-Espetacular Domingo-legal Esquadrao-da-moda Fantástico Globo-reporter Hebe Jogo-Duro Mais-Você Malhação No-Limite Programa-do-faustão Caras-e-Bocas Olha-Você Os-Mutantes Pânico-na-TV Paraíso Poder-Paralelo Programa-do-JÔ Programa-do-Ratinho Programa-Silvio-Santos Promessas-de-Amor Revelação Senhora-do-Destino Show-da-Gente Show-do-Milhão Só-Falta-Esposa SuperPop Toma-Lá-Dá-Cá Tudo-Novo-de-Novo TV-Globinho Vende-se-um-Véu-de-Noiva Video-Show Zorra-Total

Guilherme de Pádua não espera ser perdoado por Glória Perez

O ex-ator Guilherme de Pádua revelou que não espera ser perdoado pelo crime que cometeu há dezoito anos, em 1992, quando assassinou, em parceria com a então esposa, Paula Thomaz, a filha de Glória Perez, Daniella.
Segundo entrevista de Guilherme à revista “Veja”, ele sabe que não receberá o perdão da escritora. “Já criei filmes imaginários, mas sei que nada vai fazê-la me perdoar”, disse à publicação.
Pádua contou ainda que sente remorso pelo crime que cometeu: “É óbvio que eu me arrependo. Já pensei milhões de vezes: ‘Eu poderia ser outra pessoa, ter seguido outro caminho’. Houve períodos em que eu me deitava, começava a pensar nisso e não parava mais”.

Glória Perez flagra situação de perigo da sacada de seu apartamento


Glória Perez não conseguiu ficar indiferente a uma situação de perigo. A autora flagrou da sacada do seu prédio, no Rio de Janeiro, uma mulher limpando as janelas de seu apartamento com o corpo totalmente para fora da janela.
A imagem foi publicada em seu Twitter, e aparece com a seguinte descrição: “Que perigoooo! Devia dar polícia pra uma coisa dessa!!!!”

Ratinho diz ter ficado com pena de Glória Perez por entrevista

Em entrevista à coluna Olá, do jornal Agora São Paulo, o apresentador Ratinho admitiu ter ficado com pena de Glória Perez por ter entrevistado, ao vivo, na quinta-feira (8), Guilherme de Pádua, assassino da atriz Daniella Perez, filha da escritora. Apesar disso, o apresentador do SBT não soube responder se está arrependido ou não por ter dado espaço para o ator em seu programa.

Ratinho admitiu ter ficado tenso durante a entrevista, mas disse que tinha de causar polêmica com o programa. Isso porque o intuito da atração é brincar e causar polêmica. O apresentador ainda elogiou o produtor que conseguiu a exclusiva com o assassino e prometeu entrevistar um suposto ex-namorado de Ricky Martin e atores do seriado mexicano Chaves.

Ratinho diz ter sentido pena da autora Glória Perez


Após toda polêmica e represálias sofridas por levar Guilherme de Pádua, assassino de Daniella Perez, em seu programa, o apresentador Ratinho não sabe se está arrependido. Em entrevista ao jornal Agora S. Paulo deste domingo (11), o apresentador fala que ficou com pena da mãe de Daniela Perez, a autora Glória Perez.
“Não sei se estou arrependido. Fiquei com pena da Glória Perez. Eu sou pai e entendo. Mas também tenho de sacudir o meu programa; o meu produtor Henrique conseguiu trazê-lo. Foi um trunfo”.
Na entrevista o apresentador falou ainda quer vai colocar mais assuntos polêmicos em evidência.
“Quero brincar, mas quero causar polêmica. Vou trazer um brasileiro que diz ter namorado o Ricky Martin e também vou levar os atores que interpretam o Kiko e o Seu Barriga no Chaves”.

Glória Perez e Aguinaldo Silva criticam Ratinho por entrevista com Guilherme de Pádua

A polêmica entrevista com o ex-ator Guilherme de Pádua rendeu ao apresentador Ratinho severas críticas do autor Aguinaldo Silva, além de Glória Perez. Antes da entrevista, Aguinaldo havia pedido em seu Twitter para as pessoas mudarem de canal: “Vamos mostrar que baixaria tem limites, e decência não: fique longe do SBT no dia da entrevista com o Guilherme de Pádua”, escreveu.

Guilherme de Pádua apareceu ao vivo no “Programa do Ratinho” exibido ontem e elevou os índices de audiência do SBT. O programa não registrou recorde de audiência, mas atingiu 8 pontos de média e pico de 11, superando assim a Record e a Band, garantindo a vice-liderança no horário.

Em seu Twitter, Aguinaldo comentou: “Se Ratinho quer levantar a audiência à custa de baixarias, que tal psicografar uma entrevista com Hitler? Medium pra isso é o que não falta”. Em seguida, o autor de novelas da Globo alfinetou Ratinho: “Mas o que é que pode se esperar de um cara que usa o codinome de Ratinho?”, escreveu.

Já a autora Glória Perez, mãe de Daniella Perez, assassinada por Guilherme, escreveu sobra a entrevista em seu blog.

“Essa semana fui surpreendida com a notícia de que um programa de televisão ia entrevistar o assassino Guilherme de Pádua! Esse assassino cruel teve amplo direito de defesa, foi julgado e condenado por homicídio duplamente qualificado no Tribunal do Juri. Portanto, não posso admitir que, 18 anos depois, a título de divulgação pessoal, venha querer fazer seu júri particular no programa do Ratinho. A iniciativa do programa foi um insulto a mim e a todas as mães de filhos assassinados. Se deu algum Ibope, sr Ratinho – que o lucro lhe seja leve”, disse.

Glória Perez se revolta com Ratinho por causa de entrevista com assassino da filha

Ratinho conseguiu uma entrevista exclusiva com o ex-ator Guilherme de Pádua, que em 1992 matou Daniela Perez, junto com sua então mulher, Paula Thomáz. A jovem, que tinha 18 anos, é filha de Glória Perez, autora da novela De Corpo e Alma, na qual Daniela e Guilherme atuavam.
Inconformada com a entrevista, prevista para ser exibida nesta quarta-feira (7) e, provavelmente, na quinta-feira (8), Glória Perez mostrou estar indignada em sua página pessoal, no Twitter, pelo fato de o apresentador dar espaço para Guilherme em seu programa:
“Lastimável a atitude do Ratinho de levar o psicopata [Guilherme] ao seu programa. Peço a vocês que deem ‘RT’ [reprodução a outros endereços no twitter] nesses vídeos”, escreveu a novelista, que postou inúmeros links com vídeos no Youtube que mostram a condenação de Guilherme de Pádua.
Em seguida, a novelista ainda mandou a mensagem direto para o apresentador:
“@ratinhodosbt venha até meu Twitter conhecer de verdade o assassino que vai entrevistar. Mais em: http://daniellafperez.blogspot.com”, escreveu.
Em resposta à Glória, Ratinho também usou sua página no Twitter para tentar esclarecer seu ponto de vista sobre a entrevista que, segundo ele, é um assunto polêmico e que tem impacto na opinião pública.
“Essa matéria é pra saber perante a opinião pública se estes crimes hediondos já foram esquecidos ou ainda estão vivos na memória popular. Tenho três filhos e três netas. A história triste, o crime bárbaro, nada apaga a dor da perda de um filho. Na verdade, tento colaborar para que estes casos não fiquem esquecidos e a nova geração tome conhecimento do que aconteceu anos atrás”, postou ele, que em seu programa, no SBT, ainda questionou o fato de não poder entrevistar o assassino, já que outras emissoras podem entrevistar os Nardoni, a Suzane von Richthofen, entre outros que cometem crimes hediondos.
Por fim, Glória mostrando-se decepcionada com Ratinho:
“Que decepção! Eu apertei sua mão nos tempos em que você se indignava com assassinatos covardes!”.
Guilherme de Pádua estará ao vivo no Programa do Ratinho, no SBT, às 18h e a população pode fazer perguntas e tirar suas dúvidas em tempo real.

Do Fórum, Glória Perez narra o último dia de julgamento


Acompanhando de perto o julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá – acusados de matar a pequena Isabella em 2008 – Glória Perez aproveitou o intervalo para o almoço, nesta sexta-feira (26), para narrar pelo Twitter os momentos que considera mais importantes.

Do fórum de Santana, em São Paulo, a novelista abriu seus posts elogiando a performance do promotor Francisco Cembranelli, que se mantém calcado na cronologia e na perícia para colocar os réus na cena do crime. “Cembranelli não deixou pedra sobre pedra! Ele confrontou a versão dos réus com o relógio: impossível tirar o casal da cena do crime! Cembranelli mostra registros de telefonemas da Jatobá, do tel fixo e do celular: nenhum para o resgate!”, escreveu a autora.
Segundo ela, o promotor foi rápido e impecável, calando o advogado de defesa, o criminalista Roberto Podval. “Promotor expóe as provas da esganadura e asfixia. Acusa Jatobá, mostrando as marcas no pescoço de Isabella. Defesa pergunta: como o senhor sabe que foi ela? Promotor diz: então foi ele! Só eles dois estavam lá! Defesa se cala”, comemora a escritora.
Glória – que teve a filha, Daniela, assassinada em 1992 -afirmou ter comparecido ao julgamento em apoio à família de Ana Carolina Oliveira. Em seu blog, ela desabafou: “Que se faça Justiça para a pequena Isabella!”

Glória Perez confirma presença em julgamento do casal Nardoni


Glória Perez estará no julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, que acontecerá na segunda-feira (22), no Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo. A autora prestará solidariedade para Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, de 5 anos. A garotinha foi morta em março de 2008.
“O julgamento é um dos momentos mais difíceis, porque é quando você revive todo o caso. Estou indo como amiga da família para dar a minha força”, contou Glória, que teve filha Daniela Perez assassinada em 1992.

“Caminho das Índias” é consagrada em prêmio no Rio

Após receber o Emmy Internacional de melhor novela, Caminho das Índias foi consagrada também no Prêmio Extra de TV 2009, realizado no Rio de Janeiro na noite dessa terça-feira (01).

A novela de Glória Perez levou oito dos nove prêmios a qual estava indicada, numa eleição feita pelo público brasileiro. Foram eles o de melhor atriz, melhor ator, melhor atriz e ator coadjuvantes, melhor novela, melhor maquiagem e figurino e tema de novela.

Glória ainda subiu ao palco para receber o Prêmio Extraordinário, em reconhecimento à sua carreira. “Are baba, é emoção demais. E emoção demais não cabe em palavras. Hoje vocês estão me proporcionando um reencontro com essas vidas que cruzaram com a minha vida e as minhas tramas. Muito obrigada”, disse ela em seu discurso.

A festa, apresentada por Adriane Galisteu e Lúcio Mauro Filho, contou com a apresentação do grupo Calcinha Preta, cantando o tema da Norminha, vivida por Dira Paes, e também com momentos de saia justa. Na entrega do prêmio de Melhor Figurino, Juliana Alves e a premiada Emília Duncan estavam com o mesmo vestido. O ator Tony Ramos também passou vergonha ao subir ao palco. Seu microfone falhou na hora de anunciar a melhor atriz do ano e ele teve que usar o headset de Lúcio Mauro Filho. Preta Gil encerrou o evento cantando para os convidados.

Glória Perez, Letícia Sabatella e Bruno Gagliasso receberam prêmios

‘Caminho das Índias’ recebe indicação ao Emmy Internacional

gloria

O sucesso de “Caminho das Índias” foi tão grande que a novela ganhou reconhecimento internacional. Nesta segunda-feira, 5, Glória Perez, autora da trama, anunciou em seu blog que a produção ganhou uma indicação a Melhor Telenovela no Emmy Internacional. E é claro, comemorou muito.

“CAMINHO DAS INDIAS foi indicado para o EMMY!”, escreveu.

Além de “Caminho”, outros quatro programas da TV Globo foram indicadas ao troféu. De acordo com um comunicado divulgado pela assessoria da emissora, “Maysa” está concorrendo como Melhor Minissérie, “Ó Pai Ó” como Comédia, “Natal do Pequeno Imperador” como Infantil e a edição dos Mamonas Assassinas de “Por Toda Minha Vida” na categoria Artes.

Glória Perez lança site dedicado ao assassinato da filha

gloriaperez_nota

Glória Perez contou que vai fazer um site em homenagem à filha Daniella Perez, assassinada aos 22 anos por Guilherme de Pádua e a então mulher Paula Thomaz, em 1992. Nesse ano, Daniella e Guilherme faziam par romântico na novela De Corpo e Alma, de Glória.
A autora da recém-terminada Caminho das Índias disse que está reunindo materiais inéditos sobre a barbárie. Entre o material que Glória deseja reunir estão entrevistas com policiais e investigadores que participaram do caso, feitas por repórteres que cobriram a tragédia, e depoimentos inéditos.
“Quero, a partir disso tudo, escrever o depoimento que não pude dar ao júri, no julgamento dos assassinos. Esse crime merece ficar registrado, não pode ser esquecido”, declarou Glória à Época.

A autora revela que uma facção criminosa se ofereceu para matar Guilherme de Pádua. “Recebi várias cartas de uma facção criminosa, dizendo que bastava eu dizer uma determinada palavra numa entrevista e eles eliminariam o assassino da minha filha, em meia hora. Não é uma palavra trivial, que é dita facilmente, nem tampouco é uma palavra impossível. Tive de tomar certo cuidado. Ninguém jamais perceberia, mas nunca me foi tentador participar de assassinatos”.

Glória ainda falou sobre o câncer linfático, que descobriu na reta final da novela. “Para minha geração, câncer tem o peso de uma condenação e quimioterapia, de uma sessão de tortura. Antes de pensar se conseguiria escrever toda a novela, eu queria saber se ainda viveria. Quando me consultei com meu oncologista, Daniel Tabak, ele disse que, se eu me tratasse, ainda viveria muito. E que eu deveria continuar escrevendo a novela, pois manter a rotina seria essencial para me curar”, disse a autora, que possui em casa três perucas.

Glória Perez divulga audiência de “Caminho das Índias”

gloria

Glória Perez  publicou os números da audiência do penúltimo capítulo da trama Caminho das Índias na sua página no Twitter

Segundo a autora, o capítulo de ontem (10) renderam 55 pontos de média, com pico de 59. Isso quer dizer que 75.7% dos televisores de toda São Paulo estavam sintonizadas na novela global.

Os números divulgados pela autora são reais. Apesar do Ibope, e da TV Globo não terem confirmado os dados, a reportagem do site Terra apurou que enquanto a Globo navegava na liderança, Rede Record com Bela, A Feia e Tudo a Ver não passou dos seis pontos.

A situação no SBT foi ainda pior O jornal SBT Brasil amargou média de 2,7 pontos, os mesmos alcançados pelo folhetim de Íris Abravanel, Vende-se um Véu de Noiva. Are Babá!

Glória Perez fala sobre o câncer e o fim de Caminho das Índias

gloria-perez

Durante nove meses, personagens povoaram a imaginação e fantasia dos brasileiros. E agora, na última semana de “Caminho das Índias”, todo mundo quer saber: Com quem vai ficar Maya? Com Raj ou Bahuan? E a Norminha? Volta para os braços do guarda Abel?

Patrícia Poeta conversou com a mulher que tem todos os segredos dos últimos capítulos de Caminho das Índias e que construiu toda essa história, à custa de muito sacrifício.

A autora de “Caminho das Índias”, Glória Perez, conversou com exclusividade com Patícia Poeta para o Fantástico. Veja a entrevista:

Fantástico – Têm surpresas vindo por aí?

Glória Perez – Tem. Tem muitas surpresas. As pessoas quando assistem uma novela, sempre compõem uma história. Elas sempre querem conduzir a personagem para um determinado lugar. No Brasil, todo mundo é um pouco técnico de futebol e escritor de novela.

Falando de alguns personagens, a Norminha, por exemplo. Você imaginava que ela fosse ser esse sucesso todo, ficasse tão popular e tivesse esse espaço na novela?

Olha, eu queria uma mulher bem popular. A Norminha tem o comportamento que um homem que trai geralmente tem. Ele é de todas as mulheres do mundo, mas ele preserva a casa dele e a mulher dele. Não existe uma Norminha, sem Seu Abel. Seu Abel é aquele homem que gosta daquela mulher como ela é. Ele está muito chateado. Ele deixou de ser feliz. Ele era muito feliz.

Temos ouvido falar nas ruas que o Abel volta para Norminha. É isso mesmo?

E tem graça se não voltar? Onde é que ele era feliz? Só Norminha. Torcida não falta.

É verdade que o Bahuan, que passou de mocinho a quase vilão, por causa dessa química entre a Maya e o Raj?

Antes da química, por conta do desvio dos valores, ele opta pela riqueza, pelos valores, pela posição, e não pelo amor. Quanto à química da Maya com o Raj, graças a Deus que rolou. Porque nós íamos falar e uma coisa muito indiana, da construção do amor.

É verdade que o pessoal para você nas ruas, pedindo para que os dois fiquem juntos no final da novela?

Sim, são cartas e mais cartas. Eles falam que é o casal mais lindo que eles já viram. Existe uma coisa meio de conta de fadas entre os dois, É um romance idealizado, talvez aquele que amor que as pessoas gostariam de ter.

Dá para dar uma pista pra gente do que pode acontecer nos próximos capítulos envolvendo os três?

Vamos ter encontros decisivos de Maya com Bahuan. Vamos ter a decisão sobre a criança. A decisão sobre o destino de Maya.

E quanto às expressões indianas, você já se surpreendeu falando essas expressões em casa?

Eu falo normalmente. E acho ótimo ver as pessoas falando nas ruas, porque você sente que a novela está incorporada à vida delas.

Poucos meses depois da estreia da novela, Gloria Perez levou um grande susto: descobriu que estava com linfoma – um tipo de câncer que ataca os linfócitos, as células brancas do sangue. E que era necessário fazer uma quimioterapia.

Quando você ficou sabendo, mexeu com você, o que você sentiu?

Mexe porque quando você fica sabendo, o que você tem na cabeça quando alguém diz que é maligno é a palavra câncer. Ainda tem um peso muito grande, não é? Eu fui ao médico, eu sentei diante dele, não tive nem tempo de fazer a pergunta, ele falou você quer saber quanto tempo você tem de vida, né? Eu falei: claro. Aí ele disse: com o que você tem, você tem tanto tempo de vida quanto teria se não tivesse isso. Aí eu fiz a segunda pergunta: eu tenho um trabalho que é assim, são tantas horas por dia, eu escrevo sozinha uma novela, então eu quero saber: eu vou ter condições de continuar esse trabalho? Aí, ele disse: não só você deve continuar fazer, como é importantíssimo para o seu tratamento que continue a fazer.

A partir daí você fez as seis sessões de quimioterapia, a última delas foi na semana passada.

Enquanto eu fazia quimioterapia eu escrevia capítulo. Tinha um advogado do lado, que resolvia os problemas do escritório por telefone. Tinha um professor do lado, que resolvia a palestra que ele ia dar um dia, em uma universidade. Então, eu via todas aquelas pessoas ali, à minha volta, trabalhando também. Não era eu uma coisa única, nem rara.

É impressão minha ou você colocou um pouquinho dessa sua história agora nos últimos capítulos da novela?

Coloquei. Coloquei uma chamada como alerta. Apesar de ser um tipo de câncer, ele é praticamente inteiramente curável se você fizer o tratamento certo e descobrir logo.

Foi o que aconteceu com você.

Mas é por isso que é importante e eu botei a chamada, que quando a pessoa diz assim: ah, é uma inguazinha. Ah, não, é um gangliozinho que inflamou, e toma qualquer coisinha achando que passa, ou então espera que passe sozinho. Vai no médico, porque de repente é uma coisa dessa, você faz um tratamento e acabou. Está livre do assunto para sempre.

Como é que está o seu estado de saúde hoje? Como é que você está se sentindo?

Estou me sentindo maravilhosa. Porque eu fiz a última quimioterapia e está tudo bem. Acabou o assunto.

O que chamou realmente a minha atenção nas vezes que a gente se falou, que eu liguei para você para gente marcar a entrevista, todas as vezes que eu liguei pra você, você atendeu o telefone com uma voz firme, segura, eu acho que mais do que isso, uma voz animada.

Mas eu sempre estive assim.

Pois é. Isso é impressionante. Então, quer dizer, a gente conhece um pouquinho da sua história, sabe que você passou por momentos difíceis e agora com esse tratamento esse tratamento esse ano, de onde vem essa sua força incrível, Glória?

Eu acho que você começa a ter essa força, a ficar forte diante das situações, quando você não as nega. Quando você aceita a realidade como ela vem. Algo aconteceu. Você está com um linfoma, você vai fazer uma quimioterapia.

Então você tem duas opções: ou vai para casa chorar e perguntar por que isso te aconteceu? E isso te enfraquece. Ou você diz: isto me aconteceu e como é que eu vou enfrentar? Melhor. Eu opto sempre por essa.

Glória Perez recebe proposta de facção criminosa

A novelista Glória Perez afirmou que uma facção criminosa se ofereceu, por meio de cartas, para se vingar dos assassinos de sua filha, Daniella Perez, morta aos 22 anos em 28 de dezembro de 1992, a golpes de punhal pelo colega de trabalho Guilherme de Pádua e sua esposa Paula Thomáz. Bastaria que ela dissesse uma determinada palavra na televisão, que em meia hora, os assassinos estariam mortos. Ela diz que se policia para que a senha não seja falada publicamente.

A novelista Glória Perez afirmou que uma facção criminosa se ofereceu, por meio de cartas, para se vingar dos assassinos de sua filha, Daniella Perez, morta aos 22 anos em 28 de dezembro de 1992, a golpes de punhal pelo colega de trabalho Guilherme de Pádua e sua esposa Paula Thomáz. Bastaria que ela dissesse uma determinada palavra na televisão, que em meia hora, os assassinos estariam mortos. Ela diz que se policia para que a senha não seja falada publicamente.

padua

thomas

daniela